3 de mar de 2009

Diego Cardoso

Um verdadeiro artista sempre deixa um pouco de si em suas obras, e por isso não tem como deixar de lado o talento de Diego Cardoso, ou Di.Cardoso.


Suas principais referências são Picasso e Modigliani, porém ele não está vinculado a nenhum movimento de vanguarda. Trabalhando com a manipulação digital de imagens, acrescentando desenhos gestuais, Di.Cardoso transforma suas influências, técnicas, sonhos e informações em uma produção autêntica, transmitindo toda sua poética e contemporaneidade.

Nesta ilustração (a minha favorita) notam-se os contrastes melancólicos, sóbrios e quentes do ocre, a suavidade das siluetas sobrepostas, e a expressividade dos girassóis, o rosto repartido e os traços gestuais. Uma brincadeira com características dos movimentos artísticos Art Nouveau, Expressionismo e Surrealismo, gerando uma mensagem íntima do artista.

Esta obra soa como um poema barroco com seu jogo de contrastes, luz e escuridão, o “Chiaroscuro”. Sua grande área branca de respiro do Minimalismo evidencia a beleza e a ludicidade da colagem e da arte urbana, técnicas em auge na arte e design contemporâneo.

Além de suas obras expressivas e sentimentais, o artista mostra também um perfil irônico e bem humorado, por meio desta obra com os macaquinhos felizes, intitulado Elias. Com técnicas digitais, esta obra de Di.Cardoso tem como referência o Pop Art de Andy Warhol.

texto assinado por Caroline Oliveira


Quer ter seu trabalho divulgado no blog? Mande um e-mail pra gente!!!




Nenhum comentário: